quarta-feira, 30 de julho de 2008

Quem é você

206177_187354683_91147-811118721-fotonohay02-h214041-l_H050654_L

Quem será que me chega na toca da noite

Vem nos braços de um sonho

Que eu não desvendei.

Eu conheço o teu beijo,

Mas não vejo o teu rosto.

Quem será que eu amo

E ainda não encontrei.

Que sorriso aberto

Ou olhar tão profundo.

Que disfarce será que usa

Pro resto do mundo.

Onde será que você mora

Em que língua me chama

Em que cena da vida

Haverá de comigo cruzar.

Que saudade é essa

Do amor que eu não tive

Por que é que te sinto se nunca te vi.

Será que são lembranças

De um tempo esquecido

Ou serão previsões

De te ver por aqui...então vem!

Me desvenda esse amor

Que me faz renascer.

Faz do sonho algo lindo

Que me faça viver.

Diz se fiz com os céus algum trato

Esclarece esse fato

E me faz compreender

Esse beijo, esse abraço na imaginação.

E descobre o que guardo prá ti

No meu coração.

Mas deixa eu sonhar, deixa eu te ver.

Vem e me diz: quem é você.

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Um dia estamos aqui, outro dia estamos lá...

image001[1]

-Vó?

-Oi?

-Ontem eu vi de novo aquele filme que você gosta.

-Qual, minha querida?

(como se não houvesse muitos filmes que a Vovó amava).

-Aquele daquele homem que é meio bobo e fica contando histórias no ponto de ônibus...

-Ah, sei...Forrest Gump...

-Isso.

-E você gostou do filme?

-Gostei, mas não entendi uma coisa...

-O que?

-Quando começa o filme, tem uma pena voando, que voa, voa, e cai no colo do Forrest Gump. Ele guarda "ela" no livro e começa a contar a história para um monte de gente.

-Exato.

-Então, no final, ele abre o livro e ela sai voando outra vez. Para que serve essa pena, heim, Vovó?

-Bem, pituquinha, ele explica isso no final. Talvez você não tenha percebido.

-Acho que não.

-Forrest Gump não é uma pessoa igual às outras: ele tem uma inteligência limítrofe. Não fale que ele é meio bobo que isso é muito feio. Ele tem uma inteligência de uma criança de cinco anos, por isso tem dificuldade de entender as coisas como as outras pessoas. É um homem grande com a cabeça de uma criança, não é meio bobo ou retardado, tá bom?

-Tá.

-Você quer saber por que a pena começa o filme voando até pousar no colo do Forrest Gump, e depois sai voando de novo, não é?

-Isso.

-Então...no final do filme, ele conta que na sua vida houve duas pessoas que o influenciaram muito: uma foi a sua mãe, o outro, seu amigo que ele conheceu na guerra do Vietnã, que é o tenente Dan.

A mãe ensinou para ele que ter uma deficiência não é desculpa para desistir da vida. Ela se recusou a colocá-lo em uma escola para deficientes, e sempre empurrou o filho para frente, sempre ensinou-o a não se conformar com as suas próprias limitações. Forrest foi para a escola, estudou, teve um problema na coluna que o obrigou a usar aquele aparelho horrível, você lembra?

-Lembro sim.

-Tem uma cena que a Vovó gosta demais nesse filme, que é aquela em que os meninos valentões correm atrás dele numa caminhonete. Eles querem zoar com ele e até machucá-lo, e a sua amiguinha grita para o menino:

Corra, Forrest, corra!

Ele sai correndo, de aparelho e tudo, a caminhonete atrás dele, os meninos gritando...à medida que ele corria, o aparelho vai caindo, pedaço por pedaço, e quanto mais ele se livrava do aparelho ortopédico, mais rápido ele conseguia correr, mais ele deslanchava, até entrar correndo em um campo gramado e sumir ao longe, deixando para trás os seus perseguidores...

-Vó?

-Oi?

-Você está chorando?

-Não...não querida, é que a vovó esqueceu de pingar o colírio (falou isso enquanto enxugava furtivamente algumas lágrimas).

-Por que você gosta tanto dessa cena, Vovó?

-Porque Vovó acha essa cena muito emocionante, muito alegórica.

-Alê o que? Riu-se gostosamente.

-Alegórica. Quer dizer que ela tem um significado maior do que está na tela.

-Qual significado?

-Na vida, a gente fica tentando endireitar tudo, minha querida, e às vezes temos que passar muito, muito medo para podermos nos livrar de nossos aparelhos, de nossas muletas. Forrest descobre que já está pronto, que pode correr como ninguém, como ninguém, e mais longe do que qualquer menino valentão e bobo que se acha grande coisa... Olhou para a neta, que a olhava fixamente.

-Desculpe querida, acho que me empolguei um pouco.

-Vó?

-Oi?

-É para isso que temos medo?

-Acho que sim.

-Temos medo para tirar as muletas?

-E os aparelhos. E ir para frente.

-Legal. Vó?

-Fala.

-E a pena?

-É mesmo, já ia me esquecendo...então, eu falei que a mãe de Forrest Gump o ensinou a nunca sentar sobre seus problemas, a nunca se intimidar com as suas dificuldades. Ela ensinou para ele que, na vida, Deus dá uma série de cartas para a gente jogar o jogo, e temos que aproveitar as nossas cartas do melhor jeito possível.

-E a pena?

-Já vai, já vai...a outra pessoa importante na vida de Forrest Gump é seu amigo, tenente Dan. Juntos, eles foram para a guerra, tiveram um pesqueiro, montaram uma empresa e ficaram muito ricos.

E o tenente Dan ensinou que na vida, a gente é como uma peninha levada pelo vento, de um lado para outro, e nunca tem como descobrir para onde vai o sopro de Deus, nunca a gente sabe para que lado vai a pena.

Fez-se um silêncio grave.

-Como assim?

-Quando você crescer, vai perceber como nosso destino é caprichoso, meu bem. Um dia estamos aqui, outro dia estamos lá, como se tivesse um gozador assoprando a vida para lá e para cá, para lá e para cá. (fez um movimento com a mão, simulando a pena indo e voltando. A menina acompanhou com os olhos.)

-Quer dizer que a gente não sabe para onde vai essa pena?

Trouxe-a para mais perto.

-A gente não sabe...mas sabe, quando a gente chega na idade que chegou a vovó aqui, podemos perceber os caminhos misteriosos que a pena toma no ar, até pousar, segura, no colo de Deus. Mas isso a gente só descobre depois de passar muito tempo tentando adivinhar:

qual a direção do vento?

qual a umidade relativa do ar?

qual o peso da pena?

como o Caos vai comandar a direção que a pena vai tomar?

Coçou a cabeça, em seu gesto característico.

-Vó?

-Oi?

-O que acontece quando a gente pára de tentar advinhar para onde vai essa pena?

-A gente se deixa levar pelo vento, minha querida.

-Quer dizer que você dá razão para a mãe e para o amigo do Forrest?

Olhou com uma agradável sensação de surpresa.

-Isso mesmo, como você é esperta!

Eu dou mesmo, razão para os dois. A gente joga da melhor forma que puder, com o máximo de empenho, mas também respeita as linhas do vento.

Gostou?

-Gostei, gostei muito..sabe, vó, é tão bom ter você...será que um dia esse vento vai te levar para longe de mim?

Estremeceu ligeiramente.

-Não, meu bem...por mais longe que vão nossas penas, nosso coração vai estar sempre perto um do outro, tá bom?

-Tá bom.

Ficaram em silêncio de fim de conversa.

-Eu vou brincar um pouco, tá?

-Isso, vai brincar de Forrest Gump.

-Vou correr até cansar.

-Isso. Vai mesmo.

Mal conseguiu disfarçar a voz embargada de lágrimas.

Autor: Marco Spinelli é médico psiquiatra e psicoterapeuta. Coordenador clínico da Hormê.

Endereço eletrônico da Hormê é

horme@uol.com.br

barraflor2

y1ptupVJV9SR5TjOUhpI7pczllQGHrstAjSUv3vCi1fv1QuzO7MgBlHpgj7BCAi6JLTGnbtMBG1PSU

barraflor2

"Há pessoas que choram por saber que as rosas tem espinhos. Há outras que sorriem por saber que os espinhos tem rosas!"

(Machado de Assis)  

terça-feira, 22 de julho de 2008

Tem gente que tem cheiro de delicadeza...

155 A postagem de hoje é uma pequena homenagem à minha amiga Helô do blog Sintonias do Coração.

Escolhi este texto que acho maravilhoso, de autor desconhecido, e queria muito que fosse eu que o tivesse escrito, para dizer à Helô que é assim que a vejo, é assim que a sinto mesmo através desta telinha.

*

Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta. De sol quando acorda. De flor quando ri.

Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógio e sem agenda.

Ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça. Lambuzando o queixo de sorvete. Melando os dedos com algodão doce.

O tempo é outro.

E a vida fica com cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver.

Tem gente que tem cheiro de colo de Deus.

De banho de mar quando a água é quente e o céu azul.

Ao lado delas, a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invizíveis.

Ao lado delas, a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo. Sonhando a maior tolice com o gozo de quem não liga pra isso.

Ao lado delas, pode ser abril, mas parece manhã de Natal do tempo em que a gente acordava e encontrava o presente do Papai Noel.

Tem gente que tem cheiro das estrelas que Deus acendeu no céu e daquelas que conseguimos acender na Terra.

Ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, a gente tem certeza. Ao lado delas, a gente se sente visitando um lugar feito de alegria. Recebendo um buquê de carinhos. Abraçando um filhote de urso panda. Tocando com os olhos os olhos da paz. Ao lado delas, saboreamos a delícia do toque suave que sua presença sopra no nosso coração.

Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa.

Do brinquedo que a gente não largava. Do acalanto que o silêncio canta. De passeio no jardim.

Ao lado delas, a gente percebe que a sensualidade é um perfume que vem de dentro e que a atração que realmente nos move não passa só pelo corpo. Corre em outras veias.Pulsa em outro lugar.

Ao lado delas, a gente lembra que no instante em que rimos Deus está dançando conosco de rostinho colado. E a gente ri grande que nem menino arteiro.

Costumo dizer que algumas almas são perfumadas, porque acredito que os sentimentos também tem cheiro e tocam todas as coisas com os seus dedos de energia...

*

94

 Amigos são como instrumentos musicais:

Se valiosos, não tem preço.

Sabem tocar cada nota da música da amizade, em cada arpejo dentro de nosso coração e fazer vibrar aí a corda da emoção.

Helô!!

Obrigada por sua amizade!

Beijos!

sábado, 19 de julho de 2008

Que o amor seja...

1049Que o amor seja como o encontro de rios...Cada qual decorrente da gênese de suas puras fontes. E que se encontrem e se mesclem, somando não apenas águas, mas que formem um novo rio, cruza de duas essências, nova criação. Que em já maduros, encontrem o mar e o absorvam, e nele se dissolvam dando cumprimento a sua missão.

Ladyeyes

Esplêndido, magnífico, iluminado Domingo à todos vocês que mesclam essências encontrando rios em puras fontes de amor, amizade e carinho de um para outro. E que a vida se torne um hino cantando a mágica música da aventura de se viver intensamente.

Beijos!

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Penso

Enquanto caminho, penso. Tento respirar nas estrelas e em sua energia. Eu pertenço a elas e elas a mim. E assim, nesse instante, neste pedaço de planeta Terra, experimento apenas um aspecto do que eu realmente sou. Na realidade, sou mais do que percebo ser.

net.log227

domingo, 13 de julho de 2008

Sinalizando...


Quando os "Mestres do Astral" sinalizam para nós, eles têm dois objetivos principais: um, é o de nos chamar a atenção em relação aos desvios, nos fazer voltar ao eixo, nos devolver à essência.
Outro, é nos por em movimento, para que não incorramos no erro frequente ao ser humano de ficar paralizado pensando no que poderia acontecer, enquanto na verdade tudo já está acontecendo o tempo todo.
(Virginia Cavalcanti no livro "Para mim apenas o melhor")

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Paraíso


O Paraíso não existe. Não é um lugar nem um tempo.
O paraíso é ser perfeito.
Você começará a se aproximar do paraíso no momento em que alcançar a perfeição.
Para chegar a isto é preciso deixar de se ver aprisionado dentro de um corpo limitado, é saber que a sua verdadeira natureza vive tão perfeita como um número não escrito, em toda parte e ao mesmo tempo, através do tempo e do espaço.
Devemos treinar nossa mente para ser não só ossos e carne, mas sim uma idéia perfeita de liberdade que nada consiga limitar.
(Richard Bach)

quarta-feira, 9 de julho de 2008

No silêncio da noite...

No silêncio da noite,
esse côncavo abismado,
estrelas extasiadas
indagam do infinito,
perambula a lua
a perguntar porquê.
E o mar,
essa busca imensa,
movida por desconhecida angústia,
grita, grita, grita,
possui a areia
e retoma o grito.
(Maria Luiza Antocheviz)

terça-feira, 8 de julho de 2008

Eu me sentiria muito feliz se...











Eu me sentiria muito feliz se,



ao cair da tarde,



encontrasse teu coração



entrando no meu silêncio,



devassando minha solidão,



desprezando minha timidez.



Eu me sentiria muito feliz se,



ao cair da tarde,



eu pudesse me instalar no aconchego do seu coração



como um simples perfume no ar...



e aí buscar as vozes todas da memória



para que alcançassem



a nossa história perdida no tempo...




(Ladyeyes)












Os astros girando decidem o nosso destino

e o sangue da lua faz as vidas

se animarem e se apagarem.

Será verdade

que as inúmeras galáxias

resolvem o nosso destino dia a dia na terra?

Será verdade que não podemos ser felizes

sem falsas ilusões?






segunda-feira, 7 de julho de 2008

guarda-me...


Guarda-me

adormecida para sempre

em teu peito...

ou deixa-me voar

uma vez mais sobre esta terra

de ninguém,

onde morro

por qualquer coisa

que me fale de ti...


(Alice Vieira)


quinta-feira, 3 de julho de 2008

Noites...



...Há noites assim


em que o silêncio se transforma de leve


numa lâmina


que minuciosamente


rasga os lençõis


onde ficou esquecido


o corpo que habitamos


em provisórias madrugadas felizes...




(Alice Vieira)






Vem,
quebra o silêncio do espaço
que me envolve em ondas de tédio,
onde meus sonhos rasgados
se contorcem...
Gosto de ser insana,
porque o tédio me alucina e eu,
alucinada,
corro em busca de novas emoções.
Temos que nos desnortearmos
às vezes
para nos encontrarmos.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Para viver um grande amor...







PARA VIVER UM GRANDE AMOR.




...PARA VIVER UM GRANDE AMOR...




É preciso abrir todas as portas que fecham seu coração. Quebrar barreiras construídas ao longo do tempo, por amores do passado que foram em vão ... PARA VIVER UM GRANDE AMOR... É preciso muita renúncia em ser e mudança no pensar. É não esquecer que ninguém vem perfeito para nós! É preciso ver o outro com os olhos da alma e se deixar cativar! ...PARA VIVER UM GRANDE AMOR... É preciso renunciar ao que não agrada ao seu amor... para que se moldem um ao outro como se molda uma escultura... aparando as arestas que podem machucar. É como lapidar um diamante bruto... para fazê-lo brilhar! E quando decidir que chegou a sua hora de amar, Lembre-se que é preciso haver identificação de almas! De gostos, de gestos, de pele no modo de sentir e pensar! ...PARA VIVER UM GRANDE AMOR... É preciso ver a luz iluminar sua aura, dando uma chance para que o amor te encontre! Na suavidade morna de uma noite calma. É preciso se entregar de corpo e alma! ...PARA VIVER UM GRANDE AMOR... É preciso ter dentro do coração um sonho: que se acalenta no desejo de amar e ser amada! É preciso conhecer no outro o ser tão procurado! ...PARA VIVER UM GRANDE AMOR... É preciso conquistar e se deixar seduzir... entrar no jogo da sedução e deixar fluir! Amar com emoção para saber sentir, a sensação do momento em que o amor te devora! E quando você estiver vivendo no clímax dessa paixão, que sinta que essa foi a melhor de suas escolhas! Que foi seu grande desafio... e o passo mais acertado, de todos os caminhos de sua vida trilhado! Mas se assim não for... que nunca te arrependas pelo amor dado! Faz parte da vida arriscar-se por um sonho... por que se não fosse assim nunca teríamos sonhado! Mas antes de tudo, que você saiba que tem um aliado, ele se chama TEMPO... seu melhor amigo. Só ele pode dar todas as certezas do amanhã... A certeza que... Realmente você amou. A certeza que... Realmente você foi amado.




"Carlos Drumond"





Quem sou eu

Minha foto
Um pássaro que não quer ser aprisionado...Assim é minha alma...Que pousa onde encontra alento e amor...Mas que precisa estar livre para voar se assim desejar...Sou fiel aos meus sentimentos e não aceito que me prove...Quando amo sinto a intensidade do amor percorrer cada célula de meu corpo...Minha alma que de tão transparente é lúcida...Sou menina...Sou mulher...Quero tão pouco dessa vida... Quero fogueira para dançar...Quero a lua e as estrelas compartilhando minha dança...Quero a brisa da madrugada me envolvendo...E quando os primeiros raios de sol nascer...ainda quero presa entre meus dedos uma taça de vinho seco...Lanço a sorte a todos e como recompensa recebo-a de volta...Assim é minha alma cigana...

Presente da Helô Blog Sintonias do Amor

presente da Helô

O que é imperfeito, será perfeito. O que é curvo será reto. O que é vazio será cheio. Onde há falta haverá abundância. Onde há plenitude haverá vacuidade. Quando algo se dissolve, algo nasce. (Tao Te King:22)

Assine meu guestbook ficarei feliz!

Aprenda

Aprenda a ver a grandeza de seu próximo
e verá também sua própria grandeza.
KHALIL GIBRAN